segunda-feira, 6 de dezembro de 2010

Eu sou minha e de mais ninguém.


O que importa da vida não é o quanto dura, e sim a intensidade em que se vive. (C. Prates)


Eu sei que dessa vez não estou errada, não totalmente, mas no fundo, quem é mesmo o cara que diz o que é certo ou errado? As pessoas à minha volta adoram dizer o que fazer, com quem andar, o que comer, o que usar e até mesmo quando dar. Odeio isso! As pessoas são diferentes, têm gostos diferentes, pensam diferentes, são culturas diferentes, não é possível que a definição do que é “certo” sirva para todos.

Eu odeio algumas regras. Ninguém perguntou pra mim se estava bom quando as criaram ou quando definiram como ia ser o “sistema”, ou seja, quem disse que isso é bom pra todos? Quem disse que eu tenho que casar virgem? (Foi o meu pai, mas isso não vem ao caso). Quem disse que eu tenho que ir às missas no domingo? (Minha mãe). Quem disse que eu tenho que usar saia longa, deixar os cabelos crescerem e jamais usar maquiagem? (Isso ai já foi um Namorado evangélico que eu arranjei. Hoje ele é ex. Porque será?...) Mas enfim, eu não acredito na “Santa igreja Católica” (Trecho da oração do credo). Usar saia não vai salvar minha alma. Eu acredito em Deus, e creio que ele exista nas pessoas e não nas coisas, portanto o que você faz dentro de uma igreja não importa, o importante é o que você faz fora da igreja, como você age com o próximo. Casar virgem não muda nada, acho impossível encontrar um marido virgem. Então corta essa de virgindade.

Eu quero ser livre: Amar, viver, aprender, crescer, me divertir. Algumas pessoas dizem que eu sou inconseqüente com esses pensamentos, mas eu tenho a convicção de muitas conseqüências é o que eu vou ter se eu viver a vidinha que querem pra mim. Eu posso ter muita dúvida sobre o mundo e sobre mim mesma, mas o mínimo eu já sei é que eu quero fazer bem ao mundo e principalmente a mim. Eu não quero me arrepender do que eu não fiz.

Eu não sou igual a todo mundo, e isso nem foi uma opção, eu sou assim. Acho que seria mais fácil se eu fosse um ser alienado e bem acomodado com a política e a religião que diz como uma pessoa tem que agir e pensar. Seria mais simples andar na direção da multidão, ao invés de querer ir contra ela, mas eu não sei trair meus ideais.

Eu nasci em 92 e amo Chico Buarque, Elvis, Queen... Eu não sou lésbica só porque ando com lésbicas e gays. EU SOU HETEROSSEXUAL PORRA! Eu não sou Nerd porque odeio programas idiotas de Televisão como GossipGirl, Pânico na Tv, A fazenda. Eu não uso drogas só porque tenho uma pulseira do Reggae no Pulso. Eu não gostei de você só porque fui simpática (Isso acontece naturalmente está no sangue). Quem disse que eu tenho que me prender a uma pessoa e em um lugar, se o mundo é grande e o coração é maior ainda? Quem disse que eu preciso agradar você?

O certo é junção do que faz bem ao individuo e ao mesmo tempo em equilíbrio no que faz bem ao mundo e as criaturas que neles vivem. Sendo assim não me mande ir à missa, não me peça pra usar saia longa, não me diga quem eu devo namorar, nem com quem andar, porque nada disso me faz bem.

Sabe Mundo, eu sou livre enquanto a vida permitir, então enfie as suas regras no C* que eu vou ser eu!

Um comentário:

  1. Só digo uma coisa: é essa sua maneira de ser que te difere das demais pessoas, que te dá um brilho que é só seu: é o seu encanto.
    Não mude, por favor.

    ResponderExcluir

Desde já agradeço os comentários... Toda opinião aqui é bem vinda.

Beijos.