quinta-feira, 18 de novembro de 2010

CO²


Por onde andei
O amor que eu não vi
O amor que cegamente recebi
O amor que eu não dei

O futuro se faz em cinzas
Do que tanto assim se espera
O céu agora é rubra atmosfera
Para o nada nosso coração caminha

Ditaduras conscientes
E para viver por um segundo
O futuro se faz presente

Acalme os mares do teu mundo
Nos braços do teus rios negros
Afoga-se a vida num silencio profundo.


"O bicho homem é o único animal que destrói o meio em que vive".

Um comentário:

  1. Oi, escrevi um poema cuja inspiração foi seu blog.


    AbraçO!!!

    ResponderExcluir

Desde já agradeço os comentários... Toda opinião aqui é bem vinda.

Beijos.